Repara Foz: tire as suas dúvidas e faça a inscrição no programa

Iniciativa da Prefeitura promove a geração renda aos cidadãos formalizados com CNPJ na prestação de serviços para o município

O programa Repara Foz está fazendo a diferença na renda de diversos prestadores de serviços do município. Por meio da iniciativa, esses trabalhadores podem realizar pequenas reformas e manutenções nos prédios da Prefeitura de Foz do Iguaçu.

As oportunidades são abertas para cidadãos formalizados nas categorias de microempreendedores individuais (MEIs), microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EEP).

Os serviços do Repara Foz são divididos nas categorias: pintor, encanador, pedreiro, azulejista, carpinteiro, eletricista e jardineiro. Cada prestador pode se inscrever em até duas delas.

Quer participar do programa? Então entenda melhor sobre como ele funciona!

Tenha um CNPJ! Antes de ingressar no Repara Foz, o trabalhador precisa estar devidamente formalizado no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, ou seja, ter um CNPJ. Para isso, basta procurar a Central do Empreendedor (R. Padre Montoya, 490), e solicitar a inscrição.

No Central será possível encontrar uma equipe designada para atender às demandas e orientar todo o procedimento, pois, para receber o pagamento é preciso ter uma conta bancária como pessoa jurídica.

Lembrando que todo o processo é rápido e prático, com a emissão do CNPJ em até 1h.

Inscrição no Repara Foz

Com o CNPJ cadastrado ou regularizado, o passo seguinte é a inscrição no programa. Na própria Central do Empreendedor esse profissional poderá procurar o servidor designado exclusivamente para atendimentos sobre o programa e receberá uma lista com a documentação necessária.

Uma vez com toda a documentação em mãos, vá até o Protocolo Geral do Município (R. Benjamin Constant, 244, ao lado da sede da Prefeitura), e realize o cadastro no Repara Foz.

Os documentos serão avaliados pela comissão gestora do programa e, caso aprovados, você já estará apto a prestar os serviços.

Como funciona o chamamento

Cada profissional será chamado por sistema de rodízio, no limite de 40h semanais, e 1920h anuais. O candidato que efetuar três recusas de ordem de serviço será desclassificado do programa.

Qual é o valor da remuneração?

A diária é contada a partir do início da execução da ordem de serviço. Não são remuneradas as visitas ou tempo despendido para orçamentos.

Pintor – R$ 25,65 (hora) / RS 205,24 (diária); Alvenaria – R$ 27,79 (hora) / R$ 222,32 (diária); Carpinteiro – RS 25,65 (hora) / R$ 205,24 (diária); Encanador – R$ 25,65 (hora) / R$ 205,24 (diária); Azulejista – R$ 27,79 (hora) / R$ 222,32 (diária); Jardineiro – R$ 29,00 (hora) / R$ 231,98 (diária), com auxílio de R$ 6,58 caso seja necessário o serviço de roçada; Manutenção Elétrica Predial (Eletricista) –R$ 46,48 (hora) / R$ 371,84 (diária).

Em quanto tempo o pagamento será efetuado?

O pagamento ocorrerá em no máximo 15 dias, a partir da apresentação da nota fiscal por parte do prestador de serviço.

Será feito por meio de depósito ou transferência para a conta bancária em nome da pessoa jurídica credenciada. Não serão realizados pagamentos para contas bancárias de pessoa física e/ou terceiros.

Materiais e Equipamentos de Proteção Individual (EPI)

Os credenciados comprometem-se a utilizar e providenciar Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e ferramentas necessárias à execução dos serviços. Os materiais serão fornecidos pela Administração, sobras deverão ser restituídas à Administração.

Os serviços executados terão garantia mínima de 03 (três) meses, contados do recebimento definitivo dos serviços.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *