Foz do Iguaçu entra em situação de atenção devido à epidemia de dengue

Decreto com medidas para reduzir esses índices foi publicado nesta quinta-feira (19)

Foto: Thiago Dutra/PMFI

O expressivo aumento dos casos de dengue nas últimas semanas somado ao alto índice de larvas e de mosquitos Aedes aegypti encontrados nas residências levou Foz do Iguaçu à situação de atenção devido à epidemia da doença, decretada pelo Município nesta quinta-feira (19).

De agosto de 2021 a maio deste ano, foram notificados 7.831 casos suspeitos de dengue, e 575 foram confirmados. Nas últimas duas semanas epidemiológicas, o número de notificações de casos suspeitos de dengue ultrapassou o limite esperado – de 800 casos -, o que leva o município ao estado de epidemia. O decreto que determina medidas que visam reduzir esse número foi publicado no Diário Oficial do Município.

Os resultados do Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti também foram considerados para a decretação de situação de atenção. Em cada 100 residências vistoriadas pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), quatro delas continham focos do mosquito (larvas). Na verificação das armadilhas instaladas pelo CCZ para os mosquitos, o resultado foi ainda mais preocupante. A cada 100 residências, 19 armadilhas continham o mosquito adulto.

Aumento da fiscalização e multas

Com a publicação do decreto, todos os proprietários ou responsáveis por imóveis terão o prazo de três dias, improrrogáveis, para manter limpos terrenos, quintais e edificações, retirando mato, lixo e outros materiais que possam acumular água e possibilitar a criação do mosquito Aedes aegypti.

Caso haja verificação de denúncia ou vistoria pelas equipes do CCZ e seja constatado o descumprimento dessa determinação, os proprietários, será aplicada uma multa de 30 UFFI (Unidades Fiscais de Foz do Iguaçu – cada uma no valor de R$ 101,65) e cobrado uma taxa para que a limpeza seja feita pela administração municipal. Caso sejam encontrados materiais com água parada e larvas do mosquito transmissor da dengue, o valor da multa será de 70 UFFI. E, ainda, se houver nova constatação de irregularidades do mesmo tipo nos imóveis, o valor da multa poderá ser dobrado.

União de esforços

Nesta semana, o prefeito Chico Brasileiro reuniu-se com secretários, diretores e servidores das secretarias e autarquias do Município para dar o alerta de que, para vencer a epidemia de dengue, será necessário um trabalho coletivo.

“Precisamos do apoio de toda a administração municipal para manter os prédios públicos limpos e também para orientar a população em relação à importância dos cuidados para evitar a proliferação do mosquito da dengue. Essa é uma luta que só pode ser vencida com o esforço de toda a sociedade”, destacou o prefeito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *