Fundação Cultural de Foz do Iguaçu tem cadastro aberto para feirantes

As oportunidades estão abertas para trabalhadores de diversos seguimentos, da alimentação ao entretenimento

A Fundação Cultural de Foz do Iguaçu reforça o convite para que produtores rurais, artesãos, vendedores de alimentos e outros itens participem do circuito de feiras do município. O cadastro está sempre aberto e pode ser feito gratuitamente.

Os interessados devem procurar a sede da Fundação, na Rua Benjamin Constant, 62, das 7h30 às 13h30, onde irão receber a ficha cadastral necessária para a emissão do alvará – que é feito pela Acifi (Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu).

Para quem deseja trabalhar com a venda de alimentos, é preciso também realizar o curso de Manipulação de Alimentos, oferecido gratuitamente pelo Sebrae ou Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), de forma totalmente on-line.

Após o cadastro realizado e alvará emitido, será preciso pagar a taxa anual, que é de R$ 130.

Conforme explica o diretor de Projetos e Captação de Recursos Culturais, Alexandre Barbosa, os novos feirantes começam a atuar sempre nas feiras da Vila A. Após um período de aproximadamente quatro meses, a mudança de local pode ser feita, caso haja vagas disponíveis.

“Nesse formato o feirante se familiariza com o ambiente de trabalho, conhece a dinâmica de atuação e decide o melhor formato de atuação. Todas as feiras recebem um bom fluxo de movimento e são vantajosas para quem participa”, relata.

Circuito de feiras

O calendário de feiras do município funciona da seguinte forma: às terças-feiras, o encontro é no Porto Meira; quarta-feira, na Vila A; na quinta-feira, Morumbi e Vila C; sexta-feira, na Vila Yolanda; e aos sábados na Praça da Bíblia e na Vila A. Aos domingos elas acontecem também em dois lugares, na Vila A e Avenida JK – todas elas ficam abertas das 8h às 13.

A cidade tem mais de 200 feirantes que trabalham nas feiras, que possuem diversificadas opções gastronômicas, artesanatos e outros produtos.

Foto: Christian Rizzi/PMFI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *