Duas atletas da Abasfi são convocadas para a seleção sub18 do Paraguai

Não será apenas a Seleção Brasileira que irá contar com um talento lapidado pela Associação de Basquete de Foz do Iguaçu (Abasfi). As atletas Tamara Maidana e Luz Gabriela foram convocadas para defender a equipe sub18 do Paraguai, para disputar o Campeonato Sul-Americano em Buenos Aires (Argentina).

Ambas as jogadoras estão em Assunção, capital do país, com o grupo de 19 atletas que treinam até o dia 11 de março em busca de uma vaga definitiva entre as 12 jogadoras que irão para a competição continental.

Na última semana, a atleta Maria Favero, também jogadora da Abasfi, foi convocada para a seleção brasileira sub18, que irá jogar a mesma competição, no mês de maio. Os treinamentos em busca da vaga começam no dia 19 de março.

Talentos moldados na fronteira

Luz iniciou no esporte em Presidente Franco, enquanto Tamara começou em Cidade do Leste e, mais tarde, em Assunção. As habilidades chamaram a atenção dos técnicos da Abasfi, que ofereceram bolsas de estudo para que jogassem pela equipe de Foz.

“Na Abasfi eu melhorei muito o meu drible, passe e arremesso. Me ajudaram a conhecer muito melhor a minha técnica, aprendi coisas novas em conceitos de jogo, que eram muito diferentes no Paraguai”, citou Tamara.

“Tenho aqui todo o apoio para melhorar o meu jogo, os técnicos nos ajudam com muito conhecimento e oportunidades se abrem a todo instante”, afirma Luz.

Abasfi representando os países

Sobre o sentimento de representar o país onde nasceram, o orgulho é o que mais se mostra. “Quando qualquer jovem começa no esporte, o sonho sempre é chegar até a seleção, então ter essa oportunidade de lutar por um lugar na equipe do Paraguai é um orgulho. Me sinto preparada, graças aos treinos da Abasfi”, disse Tamara.

“Eu estou me sentindo muito feliz de poder viver essa experiência, conhecer outras atletas, treinar ainda mais para ter a possibilidade de ficar na equipe. Todo atleta quer representar o próprio país, e comigo não seria diferente”, contou Luz.

Caso as três atletas sejam convocadas, poderão se enfrentar em um possível jogo entre Brasil e Paraguai durante a competição. O cenário já foi até mesmo imaginado pelas amigas e companheiras de time em Foz.

“Já pensamos muito nisso e em como seria legal”, brinca Tamara. “Estamos trabalhando para conseguirmos essa convocação e jogarmos juntas no Sul-Americano, mesmo que contra. Todas nós levando o nome da Abasfi”, completou.

Na última semana, a atleta Maria Favero, também jogadora da Abasfi, foi convocada para a seleção brasileira sub18, que irá jogar a mesma competição, no mês de maio. Os treinamentos em busca da vaga começam no dia 19 de março.

Talentos moldados na fronteira

Luz iniciou no esporte em Presidente Franco, enquanto Tamara começou em Cidade do Leste e, mais tarde, em Assunção. As habilidades chamaram a atenção dos técnicos da Abasfi, que ofereceram bolsas de estudo para que jogassem pela equipe de Foz.

“Na Abasfi eu melhorei muito o meu drible, passe e arremesso. Me ajudaram a conhecer muito melhor a minha técnica, aprendi coisas novas em conceitos de jogo, que eram muito diferentes no Paraguai”, citou Tamara.

“Tenho aqui todo o apoio para melhorar o meu jogo, os técnicos nos ajudam com muito conhecimento e oportunidades se abrem a todo instante”, afirma Luz.

Abasfi representando os países

Sobre o sentimento de representar o país onde nasceram, o orgulho é o que mais se mostra. “Quando qualquer jovem começa no esporte, o sonho sempre é chegar até a seleção, então ter essa oportunidade de lutar por um lugar na equipe do Paraguai é um orgulho. Me sinto preparada, graças aos treinos da Abasfi”, disse Tamara.

“Eu estou me sentindo muito feliz de poder viver essa experiência, conhecer outras atletas, treinar ainda mais para ter a possibilidade de ficar na equipe. Todo atleta quer representar o próprio país, e comigo não seria diferente”, contou Luz.

Caso as três atletas sejam convocadas, poderão se enfrentar em um possível jogo entre Brasil e Paraguai durante a competição. O cenário já foi até mesmo imaginado pelas amigas e companheiras de time em Foz.

“Já pensamos muito nisso e em como seria legal”, brinca Tamara. “Estamos trabalhando para conseguirmos essa convocação e jogarmos juntas no Sul-Americano, mesmo que contra. Todas nós levando o nome da Abasfi”, completou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *