Municípios da 9ª Regional pedem mais apoio a Hospital Municipal Padre Germano Lauck

Prefeitos e secretários(as) de saúde dos municípios que compõem a 9ª Regional de Saúde vão estruturar um pedido de apoio aos governos estadual, federal e instituições parceiras por mais recursos para o Hospital Municipal Padre Germano Lauck, referência para o atendimento na região.

A convite da secretária municipal de Saúde, Rosa Maria Jerônymo, os representantes dos nove municípios estiveram na tarde desta sexta-feira em Foz do Iguaçu. Eles foram recebidos pelo prefeito Chico Brasileiro e pelo diretor-presidente da Fundação Municipal de Saúde, Dr. Amon Mendes Franco de Sousa. Além de fazer uma visita ao hospital, onde viram as recentes ampliações, também foram apresentados aos dados orçamentários e de atendimentos da instituição.

“Estamos falando de uma região que é extremamente importante para todo o Estado, e que merece uma maior atenção em relação à saúde. Por isso, esta proposta de dialogarmos e pensar no que pode ser para assegurar a assistência em saúde de qualidade para os nossos municípios”, afirmou a secretária municipal de Saúde, Rosa Maria Jerônymo.

“Durante a pandemia, fizemos grandes investimentos no hospital para o enfrentamento à covid, com recursos do município e também apoio do governo estadual e da Itaipu Binacional. Com essa estrutura, agora, podemos realizar serviços de alta complexidade e aumentar os atendimentos, mas para isso é preciso um maior apoio, pois os custos são altos”, afirmou o prefeito Chico Brasileiro.

Custos

Durante a reunião, foram apresentados os dados da pactuação dos municípios da 9ª Regional de Saúde, que fazem uma requisição de autorizações de internações hospitalares (AIHs) por ano ao hospital municipal. Essas autorizações podem ser tanto para atendimentos de urgência e emergência, como para cirurgias eletivas e outros procedimentos.

O custo médio estimado de cada autorização é de R$ 12 mil. O repasse dos governos estadual e federal custeia cerca de 45% desse valor – os outros R$ 6,5 mil são custeados pela Prefeitura de Foz do Iguaçu.

A previsão orçamentária de custeio do hospital para o ano de 2022 é de R$ 120 milhões, dos quais R$ 55 milhões são repasses das esferas estadual e federal.

“A habilitação em alta complexidade do hospital precisa vir, mas para isso não podemos ter déficit, nossa conta precisa fechar”, destacou o diretor-presidente da Fundação Municipal de Saúde, Dr. Amon Mendes Franco de Sousa.

Investimentos

“Lembrando que estes dados são somente da manutenção, não estamos falando de investimentos. Temos feito investimentos pelo município, e também com apoio da Itaipu e do Estado, para mantermos um hospital de porta aberta, o único referência em trauma na nossa região”, reforçou o prefeito Chico Brasileiro.

Ele conduziu, junto com a secretária de saúde e o diretor-presidente da Fundação de Saúde, os representantes dos municípios da 9ª Regional de Saúde em uma breve “tour” pelas quatro alas ampliadas no hospital durante a pandemia. Entre os locais visitados, estão a Unidade de Cuidados Especiais (UCE), a Unidade de Terapia de Doenças Infecciosas (UTDI) e o Centro de Especialidades Odontológicas, que foi completamente reformado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *